Associação Brasileira de Brangus
Login:   Senha:  
  história
  diretoria
  sócios
  técnicos
  interatividade
  fale conosco
  comunicados
  rank
  catálogo
  genealogia
  trocar a senha
  denúncias
             reclamações
  artigos técnicos
  Revista Brangus
  clima
  eventos
  notícias Brangus
  notícias RSS
  download
  fotos
  vídeos


Matéria atualizada 20/07/2018

Carne brangus conquista o consumidor brasileiro

A raça bovina brangus tem sido um sucesso no Brasil – só na última década, o número de registros bovinos da raça cresceu mais de 80%, passando de 6.000 para 10.785 cabeças, segundo a Associação Brasileira de Brangus, a ABB. Trata-se de uma raça classificada como sintética, ou seja, desenvolvida a partir da mistura das espécies brahman e angus, processo que começou nos Estados Unidos em 1912. No Brasil, a raça chegou nos anos 1940 e começou a ser criada em Bagé, no Rio Grande do Sul, recebendo a denominação de ibagé. Mas foi apenas nos anos 1990 que começou realmente a despontar por aqui.

São diversos os motivos que levaram a raça a se estabelecer tão bem no país. Belarmino Iglesias, proprietário do Grupo Rubaiyat, que tem em seu guarda-chuva sete restaurantes Rubaiyat (em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, México, Espanha e Chile), A Figueira (São Paulo) e o Cabaña Las Lilas (Buenos Aires), conta que o brangus é a segunda raça de corte mais produzida no Brasil, atrás apenas do nelore. “Ele veio melhorar o desfrute da pecuária brasileira”, diz, explicando que o termo “desfrute” se refere ao tempo do abate que, no caso do brangus, é cerca de 24 meses, ou seja, 12 meses a menos do que o abate do nelore, resultando em uma carne de qualidade superior em um espaço mais curto de tempo e, consequentemente, aumentando a escala. Aliado a isso, o país tem um clima tropical propício para a mistura de raças, que suporta bem altas temperaturas. “Este é um fator determinante para escalonar a produção e não restringi-la a áreas apenas com temperaturas mais baixas, caso da região Sul do país.”


Criação de gado do Grupo Rubaiyat

O produtor Valdomiro Poliseli Jr., presidente da VPJ Pecuária, seleciona a raça desde 2005 na Fazenda Xavantina, no município de Nova Crixás (Goiás). Ele conta que a raça passa por um momento positivo: “Os touros brangus têm sido bem valorizados em leilões pelo Brasil afora, sendo um animal para cruzamento comercializado na faixa de R$ 10 mil a R$ 15 mil. As fêmeas custam entre R$ 15 mil e R$ 20 mil”.

Belarmino diz que, no Brasil, consolidou-se a criação do brangus ⅜ – três partes de zebu (equivalente ao brahman norte-americano) e cinco partes de angus. “Este último produz uma carne com mais sabor, mas, por causa do clima, só existe no Sul. O que permitiu a produção em larga escala do brangus foi justamente a mistura com o zebu”, explica. Atualmente, nos restaurantes do grupo, o brangus figura como um dos protagonistas dos menus. Os preços – que variam em função do corte – vão de R$ 110 (porção de 350 gramas de tirita de picanha) a R$ 142 (master beef clássico também de 350 gramas). A média atual de consumo das carnes nos restaurantes brasileiros do Grupo é de 2,4 toneladas por semana, contabilizando todos os cortes.

Já no açougue gourmet Feed, localizado no bairro paulistano do Itaim, a raça é um sucesso de vendas. Segundo Márcio Valenti, chef executivo do local, o custo-benefício da carne é bom – principalmente em comparação com a raça japonesa wagyu, cujo quilo é vendido por valores de três a cinco vezes maiores. A picanha de brangus custa R$ 99, enquanto o bife ancho sai por R$ 84,90. “O brangus apresenta marmoreio intermediário, com excelente sabor”, diz Valenti. O marmoreio é o nível de gordura intramuscular, aqueles traços brancos no meio das fibras musculares vermelhas, que está relacionado à maciez da carne e ao sabor mais acentuado.


Fonte: Forbes Brasil - Giulianna Iodice


Mais Notícias
Cabanha São Bibiano fatura alto em Uruguaiana
Tradicional evento do criador Antonio Bastos Filho ofertou bovinos Angus e Brangus, além de cavalos Crioulos
Fêmeas Red Brangus puxam as vendas da São Rafael
Também foram ofertados em São Borja, RS, reprodutores de genética apurada das gerações 2016 e 17
Fêmeas puxam as vendas da Capanegra
Evento promovido por Fernando Dornelles Pons integrou a programação da Expofeira de Bagé
Cabanha Catanduva se despede da raça Angus
Leilão que liquidou o plantel faturou R$1,1 milhão e teve como animal mais valorizado um touro Brangus vendido por R$16,2 mil
Cabanha Umbu promove remate com Angus e Brangus
O criador Angelo Bastos Tellechea recebeu pecuaristas e convidados em sua fazenda em Uruguaiana
Espinilho e Soldera registra 100% de liquidez em Esteio
Negócios envolveram bovinos das raças Angus, Brangus, Hereford e Braford, além de gado comercial
Procura por fêmeas dá o tom da comercialização no leilão Selo Racial
Vaca Brangus com prêmios na Expointer e valorização de touro foram os destaques do remate realizado em Uruguaiana
Touros Brangus saem à média de R$ 13.354 em virtual
O criatório Brangus HP promoveu o pregão, que também contou com animais da Brangus do Sertão
Touros da raça brangus alcançam os maiores preços no leilão da GAP Genética
Considerado um dos principais remates da temporada de primavera, evento foi realizado neste domingo (22) em Uruguaiana, na Fronteira Oeste
 
 
Redes Sociais :
Rua Piratininga, 908 Jardim dos Estados
Campo Grande, MS - CEP: 79020-240 - Fone: (67) 3321-1316
developed by